domingo, 3 de dezembro de 2017

Não me sei expressar

Não me sei expressar 
Não quero ter de me expressar
Dar justificações a alguém
Explicar aos outros aquilo que penso

Eu sou racional
Na maioria das vezes emocional
Baralhável
Confusa
Instável

Dizem que sou ingénua
Admito que até o posso ser
Mas eu também penso
E penso demais

Às vezes queria não pensar
Não pensar em certas coisas
Pausar os sentimentos
Fazê-los transparentes
Não os ver, não sofrer

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Cortei os longos fios embaranhados

Abri o cadeado Sem chave... 
Foi arrombado Por mim 

Eu quis falar Eu quis fugir
Não me iludir Desencantar-me
Deste encanto Deste feitiço
Desta dança a pares
Que danço sem ti
Só Sozinha
Imaginando sonhar
O sonho que nem em sonho foi real



sábado, 18 de novembro de 2017

Não tive aula

" Não tive aula.
Estou no 5º andar, sozinha, supostamente a estudar. Nas mesas em frente à biblioteca - vi um rapaz da minha turma lá, fiquei com vergonha de entrar; não me perguntem porquê, a verdade é que, se puder, prefiro evitar cruzar olhares.
Estou do lado de grandes janelas, com visão para toda a rua - só não é mais perceptível devido às tais semi-esverdeadas, sábias anciãs, que se sobrepõem. As folhas das árvores começam a tomar diferentes tonalidades, apesar de ainda predominantemente verdes. O outono avizinha-se, ou, se já chegou, demora a notar-se, tendo em conta que estamos em pleno outubro e as temperaturas rondam os 30, 40 graus.
Reparo num gato que vagueia pelo passeio.
Noto uma figura, de certa idade, no jardim, com um caixote do lixo atrás, bem como uma vassoura, e uma pá. É o senhor que costuma vigiar o ginásio quando se faz tarde, e por vezes, a portaria. Enquanto os alunos estão fechados nas salas, ele recolhe as incontáveis folhas do chão, agilmente, fazendo montinhos engraçados para facilitar o serviço. Enquanto escrevo, já ele completou mais de 50% da tarefa, neste longo espaço. Sem perceber, fixo-me nele, observo-o. O seu trabalho não é devidamente reconhecido pelos que mais beneficiam dele - os alunos. Ninguém sabe o que faz, eu própria não sabia. Por vezes, tratam-no com desprezo e arrogância, ele, que humildemente varre as ínfimas folhas com certa dificuldade, esforçosamente, devido ao avanço da idade. "

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Layout de Halloween!

Hoooye! Como vão?


Entrei em fase de testes e deixei de aparecer por cá... Grande parte do meu tempo foi gasto a estudar, porém... Procrastinar é essencial na minha vida... Para quê fazer agora o que pode ser feito daqui a uma, duas ou três horas? Talvez até dias depois...~ não sigam o meu exemplo

Nestes últimos dias aconteceram várias coisas - ou talvez nem fossem tantas assim. Será que foram? Julgo que sim. Mas se me pedissem para as enumerar, eu não teria muito para dizer. Vai-se vivendo, um dia de cada vez, a pensar nos dias que já foram, e nos que ainda virão. Falarei sobre a minhas conquistas e derrotas numa postagem futura.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Ser e não ser

Quem sou eu? Quem serei eu?
Sou o que sou. Sou eu e simplesmente eu, sem necessidade de mais definições;
Ou - afirmas tu - terei de detalhar o que em mim me faz tornar?
De que forma o poderei fazer? Julgamentos, rótulos, perspetivas e lados exteriores à imparcialidade. O que os outros vêm, não é o que sou, mas é a partir de outros que surgem palavras para me identificar. E é a partir do meu olhar que formulo ideias sobre o Mundo, sobre aquilo que gostaria de ser Nele.
Sou aquilo que almejo ser? Quem quero ser? Como quero ser? O que tenho de mudar, ou manter? Quem sabe, um dia me possa transformar. Porque não, hoje, começar? Começar a trabalhar, construir um Eu que aprendeu com o passado e que visa aplicar os respetivos aprendizados no futuro. Um eu melhorado, ao qual eu possa sorrir e me orgulhar.
Talvez um dia mais tarde nos encontremos. Talvez - por ironia do destino - me notes ao passar na rua, e, hesitante ou não, me cumprimentes. Ou, quem sabe, se tiveres coragem, me chames para conversar um bom bocado.
Nessa altura pode ser que possas perceber, que finalmente me tornei, pura e simplesmente, em quem desejo ser.

sábado, 7 de outubro de 2017

Faz da escrita a minha voz


Palavras que ficaram por dizer
Confusões por resolver
Paradoxos da vida
Que não nos deixam viver


Tenho as palavras medidas
Imagino como se falar
Que frases posso usar
Estão todas aqui, trancadas no meu pensar


E pesa
E continua a pesar
Quero fugir
Do que devo enfrentar



domingo, 1 de outubro de 2017

Junção colorida

Sentimentos contraditórios invadem os meus territórios - querer ir, querer ficar; querer esquecer e querer amar...

E o meu peito anda tão cheio de cores derivadas - todas misturadas
Numa confusão daquelas bem atrapalhadas.
Adicionando luz, a junção colorida torna-se branca;
Mas se a luz não estiver presente, um mero instante é suficiente
Para em escuridão se transformar.

E se eu te dissesse que julgo seres tu
A luz que necessito,
O brilho do meu olhar,
Aquele que o meu coração diz amar?